domingo, 25 de janeiro de 2015

A Beleza do Sacramento da Confissão


Da contrição perfeita
By Adilson J. da Silva


 25 de janeiro, conversão de São Paulo - Terceiro Domingo depois da Epifania.



Publico hoje o ato de amor perfeito e contrição perfeita, atribuído por alguns a São Francisco Xavier (e por outros a Santa Tereza de Jesus):



Não me move Deus, para querer-Te,

O Céu que me tens prometido,

Nem me move o Inferno, tão temido,

Para deixar por isso de ofender-Te.




Tu me moves, Deus meu, move-me o ver-Te

Cravado em uma cruz, escarnecido;

Move-me o ver teu Corpo tão ferido,

Movem-me tuas afrontas e tua morte;




Move-me, enfim, teu amor e de tal maneira

Que, ainda que não houvesse Céu, Te amaria,

E, ainda que não houvesse Inferno, te temeria.




Nada tens que dar-me porque Te quero;

Porque, se não esperasse o que espero,

Te quereria o mesmo que Te quero.




Fonte: A Contrição Perfeita: chave de ouro para abrir a porta do Paraíso, pe J. de Driesch.

Nenhum comentário: