sábado, 31 de janeiro de 2015

O futuro incerto da Macau portuguesa sob os avanços do socialismo chinês



Amai a pátria, jovens!
 
 31 de janeiro, dia de São Bosco.

Vai avançando o (natural e esperado) processo de chinesificação imposto em Macau: o diretor do Gabinete de Ligação do Governo Central em Macau, Li Gang, apelou às escolas do território para reforçarem a educação sobre a cultura chinesa porque é importante que os jovens tenham "valores corretos" e "reforcem os seus conhecimentos sobre a pátria" para se identificarem com ela.

Por falar nisso, em Hong Kong houve uma iniciativa governamental em 2012 que visava a "educação patriótica" que consistia na implementação de uma disciplina obrigatória sobre a educação nacional no currículo escolar, o que motivou manifestações e obrigou o governo a retirar a proposta. Em Macau tal coisa dificilmente aconteceria, pois o povo chinês de Macau é mais cordeirinho.
Seja como for, de certeza absoluta que até 2049 Macau já estará completamente chinesificado, contra a vontade dos parolos e utópicos, como alguns portugueses aqui radicados e habituadíssimos ao modo de vida ocidental que ainda por cá vai havendo enquanto a China permitir, que acreditam que a grande mãe China é que devia aprender alguma coisa com o exemplo de Hong Kong e de Macau.

Para ver mais visite a página do Fiehead.

Nenhum comentário: