sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Um desgraçado na presidência dos EUA: a alma negra de Obama!




Obama apoia o Estado Islâmico e ofende os Cruzados e a Igreja Católica

(adaptado por Adilson J. da Silva)

6 de fevereiro, dia de São Tito, bispo e confessor.

(...) O Estado Islâmico chama os cristãos (ou qualquer um que luta contra eles) de Cruzados. [O piloto jordaniano, Muath al-Kasaesbeh, assassinado cruelmente pelos terroristas do ISIS, o chamaram de “cruzado”]. Agora Obama, mais uma vez mostrando sua estupidez e anti-cristianismo, faz o mesmo. Bom, o pai de Obama era muçulmano, assim pela lei islâmica, ele seria muçulmano, e ele estudou quando criança em escola muçulmana na Indonésia. Mas ele se diz cristão (também, ele não elegeria dizendo dizendo que não era cristão). Em discurso, ele disse que não se podia condenar muito o Estado Islâmico por seus atos pois:

Unless we get on our high horse and think this is unique to some other place, remember that during the Crusades and the Inquisition, people committed terrible deeds in the name of Christ.

Isto é, não se deve condenar os Estado Islâmico pois a Igreja Católica no passado cometeu as atrocidades das Cruzadas e da Inquisição. O discurso apesar de ser idiota e rasteiro para quem leu qualquer livro sério sobre Cruzadas e Inquisição, é o mesmo discurso que se lê nos péssimos livros de escola que temos no Brasil e mesmo no mundo, no qual a Igreja é sempre condenada e não cansa-se de citar Galileu, mesmo sem saber nada sobre quem foi Galileu e por que ele foi condenado. Aqui neste blog, eu já recomendei pelo excelentes livros sobre Cruzados, Inquisição e Galileu. 

Só para lembrar alguns.


Sobre o Inquisição, o melhor que li se chama Inquisition de Edward Peters. Mas aqui neste site tem um ótimo resumo sobre o assunto citando vários livros, de católicos, não-católicos e até de anti-católicos, que mostram que apesar de erros cometidos durante a Inquisição.


A Inquisição está longe, muito longe, de ser a matança descrita em livros de escola. Os livros sérios mais exagerados falam de 2% de mortes entre todos os que foram investigados pela inquisição em 500 anos de história. Peters explica muito bem também em seu livro que o método de inquisição não foi uma invenção da Igreja, era o comum na época no poder secular.


Sobre Galileu, pode-se ler uma ótima explicação no livro God's Philosophers de James Hannam. Ele mostra que a teoria do heliocentrismo não era aceita na época pelos cientistas, nem Galileu podia provar. E também mostra que Galileu ofendeu e humilhou o papa em livros, apesar do papa ser seu amigo e aprovar os livros dele, sem falar que Galileu não era lá muito cuidadoso, não mencionava os autores das teorias, fazendo supor que as teorias eram dele. Sem falar que a teoria heliocêntrica é de um padre: Nicolau Copernico.

Sobre Cruzados, eu posso indicar muitos livros, pois adoro o assunto, e estou escrevendo sobre assunto, que se Deus quiser vai virar livro (vocês comprariam?). Para começar, eu venero muitos Cruzados (que lutaram ou defenderam teologicamente e filosoficamente as Cruzadas), como São Francisco de Assis, São Tomás de Aquino, São Bernard Clairvaux, São Luís IX, Ricardo Coração de Leão e Conde Raimundo de Toulouse. Sobre as Cruzadas, leiam qualquer livro do brilhante e renomado Jonathan Riley-Smith, ou um ótimo resumo feio por Thomas Madden.


As Cruzadas, para resumir, não foram perseguição para converter muçulmanos em cristãos, não foram guerras para tomar terras de muçulmanos, não foram guerras colonialistas. Foram guerras para proteger peregrinos e Jerusalém dos muçulmanos, que há décadas estavam atacando os peregrinos cristãos.


Houve erros nas Cruzadas? Claro, inúmeros, em 700 anos de história. Basta lembrar do saque de Constantinopla em 1204.

Mas, só para lembrar, se não fossem as Cruzadas, não haveria Espanha (reconquistada dos muçulmanos pelos Cruzados), nem Portugal (criado a partir da conquista de Lisboa pelos Cruzados que estava a caminho da Segunda Cruzada), consequentemente não haveria Brasil, nem América Latina. Também não haveria Alemanha, que deve muito a Ordem Militar Teutônica. Em resumo, não falem como Obama. O pior é que muitos padres falam igual a Obama. Estudem!!!

Finalmente, ontem, eu mencionei aqui um artigo explicando de forma simples por que que os cristãos não podem ser comparados com os terroristas muçulmanos. Leiam e defendam o cristianismo.

Leia a versão original na página thyselfolord.


Leia a versão escrita do discurso de Obama aqui.

Nenhum comentário: