sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

O islamismo sob o olhar dos livros do PNLD


O ensino de história pelo PNLD apresenta um islamismo ficcional 


Desde que optei por participar mais ativamente da educação de meus filhos, passei também a acompanhar, objetivando melhorar, o ensino que eles vinham recebendo. Eu já tinha me apercebido da doutrinação ideológica nas escolas (públicas e privadas), e da qual também fui vítima durante minha vida de estudante. E foi esse fato que me forçou a policiar os conteúdos que eles receberam e ainda recebem, pois ainda são estudantes. A doutrinação ideológica é um perigo, pois além de ser um atentado à liberdade dos pais, ela constrói um imenso vácuo na alma das crianças e jovens, impedindo-os de enxergar de per si como a realidade se mostra diante de seus olhos. No Brasil, os estudante estão sendo deliberadamente esvaziados do pensamento crítico.

Eu já apresentei críticas a alguns livros didáticos aqui no blog. Em minha última, exposição critiquei a imposição da ideologia de gênero em um livro didático de ciências. Hoje quero fazer o mesmo, mas com outra temática. Devido às dimensões que o jihadismo islâmico tomou no mundo nos últimos quatro anos, hoje resolvi expor alguns problemas do ensino de história, via o PNLD, com relação à religião islâmica. Considero preocupante. Há um bom tempo, tenho identificado muitos problemas na forma como os livros didáticos sempre apresentaram o Islamismo aos estudantes. Identifiquei casos em que os autores exageram, e até demonstram forte ignorância, em suas críticas ao cristianismo. Entretanto, ao falar do Islã comportam-se de forma cuidadosa, como que medindo as palavras. Essas atitudes sempre me deixaram irritado.
Por esse motivo, recentemente tomei alguns livros de história emprestados com os problemas acima citados e decidi escrever algo. Abaixo exponho algumas fotos tiradas dos textos de um livro de história para o ensino médio. Trata-se do título "História, Coleção Novo Olhar, v. 1, 1ª edição, FTD (2010)", dos autores Marco Pellegrini, Adriana Machado Dias e Keila Grinberg.
Coleção Novo Olhar de História, v. 1.
Seguem abaixo algumas imagens das páginas onde o livro fala sobre o Islã, ficando o leitor livre para tirar suas próprias conclusões, conforme seu nível de conhecimento. Adianto, porém, que foram deliberadamente ocultadas desse livros as seguintes realidades da religião islâmica: os planos dos muçulmanos para estabelecer um califado universal sobre todos os povos por meio da sharia (lei islâmica); a escravidão praticada pelos muçulmanos tanto na África quanto na Europa; a inferioridade da mulher e do infiel; o desrespeito aos direitos humanos; a poligamia, a cultura do estupro e da pedofilia claramente toleradas nos ensinos da religião; a perseguição por parte dos muçulmanos contra outras religiões nos países islâmicos, ou quando eles alcançam a maioria. Todas essas práticas islâmicas são esvaziadas desse livro. Ao final desta postagem, há uma lista de blogs e sites onde o leitor poderá encontrar diversas informações e documentos que comprovam o quanto o livro didático aqui criticado é exemplo claro de que o MEC pratica doutrinação ideológica. Isso é fato! Qualquer pessoa que se despir de uma visão preconceituosa, vai se deparar com um silêncio tenebroso de todo e qualquer livro didático perante o Islã, um religião conserva e sustenta ensinos que fomentam o fim das outras religiões de forma monstruosa.


Imagem 1. Observe o texto abaixo. O livro afirma sem citar fontes que o Islamismo é a religião com maior número de seguidores no mundo. Grande equívoco. Alguns anos atrás, o blog Thyself o Lord, publicou uma estatística que desmente isso, noticiada no instituto Pew Research em 18 de dezembro de 2012.
página 169.

O cristianismo é a religião com mais fiéis no mundo.
 Imagem 2.
página 174.
Imagem 3.



página 172.

Imagem 4.

página 171.
Imagem 5.

página 179.
Imagem 6.

página 178
Imagem 7

página 180.

Imagem 8.

página 181.
Imagem 9.
página 181.
Imagem 10.
página 184.

Alguns links para ajudar o leitor a pesquisar sobre a realidade islâmica no mundo atualmente. Basta clicar e se informar:

 


Estatísticas:



A cultura da escravidão sexual praticada e aceitada pelo Islã







Nomeclatura essencial sobre o Islã




A página do dr. Robert Spencer, um  maior especialista em jihad. Ótimo para se aprofundar sobre o Islã.

Nenhum comentário: