sábado, 12 de janeiro de 2019

um breve conto juvenil


Uma poderosa arma de pedrinhas de diamante

fonte da foto: m.megacurioso

  Numa imensa e densa floresta, terrível perigo doze jovens corriam. Desformados seres monstruosos, parte homem e parte animal, os perseguiam com desmedida fúria. Eram monstros de aspectos hediondos que horríveis sons emitiam e de cujas bocas saia uma escura espuma de insuportável odor.

   Trazia, porém, um dos jovens, no bolso de sua camisa, uma poderosa arma. Arma esta constituída por diversas pedrinhas de diamantes unidas entre si um por um fino e dourado fio de ouro. O jovem portador dessa arma filho era de humilde pescador.

     Percebendo que aqueles terríveis monstros se aproximavam para dizimá-los, o jovem portador da poderosa arma, pressionando-a em seu peito gritou confiantemente:
     – Oh, Grandiosa dos altos céus! Vinde em nosso socorro!

    Inexplicável e imediatamente, ocorreu ensurdecedora explosão, a qual foi seguida por grande clarão que cobriu todas as cores do ambiente em que os doze jovens se encontravam. Num branco branquíssimo tudo à volta deles se tornou! Exceto o filho do pescador todos foram momentaneamente cegos pelo grande clarão. Do céu desceram sete magníficas e alvíssimas criaturas de aparência femininas dotadas de inefável beleza. Vestiam as sete criaturas vestidos brancos e sobre suas cabeças portavam, cada uma portava uma, véus azulados por um azul jamais visto. Em seus vestidos estavam escritas as palavras: imaculada, mãe, rainha, advogada, honrada, gloriosa e advogada.

    Não suportando a grande força emanada pela radiação energética que brotava das criaturas, os jovens, exceto um, caíram por terra, como que sobrecarregados por um cansaço inexplicável. Por longo tempo, eles ficaram completamente enfraquecidos, imóveis e cegos. Aproximando-se do jovem filho de pescador, porém, uma daquelas criaturas, disse-lhe suavemente:

    – Não tenhas medo. Abra os olhos. Ouvi seu clamor e vim ajuda-los. É poderosa a arma que trazes no bolso. Com carinho deves guardá-la, pois. Junto a ti carregue-a sempre, pois ela continuamente nos unirá.
    Ditas essas palavras tudo à volta daqueles jovens transformou-se milagrosamente: encontraram-se eles cada qual suas casas.

Nenhum comentário: